Bebês eram medicados na escola acusada de maus tratos para que dormissem mais rápido

A diretora teve a prisão decretada na última segunda-feira (21).

A Polícia Civil de São Paulo está investigando uma escola infantil acusada de maus tratos contra as crianças.

As primeiras investigações mostraram que a diretora responsável pela Escola de Educação Infantil Colmeia mágica Roberta Regina Rossi pedia que suas funcionárias descem dipirona para que as crianças dormirem rápido. A diretora teve a prisão decretada na última segunda-feira (21).

Em seu depoimento uma das professoras que tomava conta da turma de 3 e 4 anos contou que uma colega de trabalho tinha dito que a diretora tinha dado a ordem para dar o medicamento que serve para tratar a febre para que os bebês dormirem rápido.

Ainda de acordo com as primeiras informações as crianças recebiam o remédio sem a prescrição médica para que pudessem ter uma queda de pressão e com isso adormecessem de forma mais rápida.

São muito os relatos dos maus tratos que acontecia na escola, a diretora também é acusada  de amarrar as crianças com lençóis e colocar as crianças no banheiro como forma de castigo, além de cobrir cabeça dos bebês que não paravam de chorar com cobertores.

Essa seria uma forma de abafar o choro das crianças e obrigá-las a dormir. A mãe de um bebê de sete meses disse que seu filho ficou com febre, muito ofegante e como dificuldade de respirar e precisou ficar internado para passar por oxigeno terapia. O caso ainda seguem em andamento.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.