Com apenas 12 anos, menino abre escola em seu quintal para ensinar as crianças carentes do bairro

Para oferecer estudo a crianças carentes do bairro, menino de 12 anos monta uma escola no quintal de sua casa.

Leonardo Nicanor Quinteros, embora tenha somente 12 anos de idade, conseguiu adquirir o respeito dos seus 36 alunos. O garoto resolveu oferecer por ele mesmo, há alguns anos uma oportunidade de aprendizado para todas as crianças carentes, residentes dos bairros pobres de Las Piedritas l e ll.

O bairro fica localizado em Pocito, em San Juan (Argentina). O jovem professor criou a escola no fundo da casa de sua avó, e a deu o nome de “Pátria e Unidade”. Embora a escola ainda não seja oficialmente reconhecida, no entanto, todos os alunos que são frequentadores aprendem.

A escola que fica localizada a cerca de 20 quilômetros da capital de San Juan, é bem conhecida pelos moradores em Pocitos. Leonardo não vive em uma condição favorável, mas mesmo assim, criou o desejo de ensinar as crianças carentes. As paredes da escola foram criadas de papelão, chapa e nylon.

No interior da escola os espaços são pequenos, tem três salas de aula dividas com tecidos, que serve como uma cortina de divisão. Cada sala de aula tem quadro-negro e uma lata que serve para armazenar os pedaços pequenos de giz. Também existe, um jardim de infância, onde as crianças sentam em tijolos que serve como cadeiras ao redor da mesa.

Nico explicou que aquele espaço serve para as crianças que começam estudar com dois anos, primeiro elas começam a brincar. Já as outras salas de aula, são reservadas para as crianças do 1ª e 2ª uma e 5ª e 6ª outra. Do lado de fora das classes ficam os bancos dos alunos da 3ª e 4ª série.

A escola conta também, com uma bandeira da Argentina e um sino para anunciar a hora do intervalo. Na parte da manhã o menino cumpre seu compromisso em sua escola e as 14:00 horas começa a dar aula na escola que criou, e vai até as 18:00. A maioria dos 36 alunos que frequentam a escola são crianças, no entanto, Nico disse que qualquer um pode frequentar e não apenas os moradores do bairro.

Quem pode confirmar isso é a Dona Mirta Donoso, de 40 anos, ela é uma das alunas da turma. Ela caminha todos os dias cerca de meia hora debaixo de sol ou chuva para chegar até a escola, ela contou em lágrimas, que é muito grata ao menino por tudo que aprendeu, hoje ela já consegue escrever seu nome.

 

Escrito por Redatora Cs

Escrevo vários tipos de conteúdo, mas gosto muito de escrever notícias sobre famosos, histórias de superação e testemunhos.