Entenda por que algumas pessoas nascem com um furo na orelha

Por que algumas pessoas têm um pequeno furo neste local da orelha.

Algumas pessoas possuem um buraco no nível da orelha, bem no local onde a cartilagem encontra o rosto, desde que nasceram.  E aqui vamos explicar o porquê disso.

O que para muitas pessoas pode parecer uma simples particularidade física, para muitas outras, é conhecido nos meios científicos como o seio pré-auricular.

Na verdade, trata-se de um pequeno orifício, de cerca de um ou dois milímetros, que fica localizado na parte exterior da orelha ou entre a orelha e o rosto.

Na maioria das vezes, acaba passando de geração em geração, podendo tornar-se algo completamente partilhado por vários elementos da família. E, apesar de aparecer com frequência em uma ou em ambas as orelhas, os investigadores por meio de pesquisas concluíram que é mais comum esses furos aparecerem do lado direito.

Cerca da metade dos afetados tem um buraco no topo das orelhas, enquanto a outra metade tem dois buracos nas orelhas.
Geralmente esses furinhos na orelha não trazem qualquer problema para a saúde, mas se a fístula infetar ou formar um quisto pode ser necessário a realização de tratamento – que pode ser feito por meio da drenagem ou da eliminação da fístula.

De acordo com os cientistas, essa característica existe apenas por um motivo em particular. Van Heusinger foi o primeiro a estudar o fenômeno no ano de 1864 e determinou que essa característica só aparece em algumas pessoas devido a um “defeito de nascença hereditário”.

Com o passar do tempo, vários outros cientistas também se interessaram sobre o assunto e começaram a realizar pesquisas sobre essa característica física.

De acordo com a teoria que foi criada pelo biólogo Neil Shubin, e publicada no Business Insider, o buraco nas orelhas vem de uma evolução de brânquias de peixe.

O que certamente nos faz pensar sobre os ancestrais de algumas pessoas, mas por enquanto essa afirmação não passa de mais uma teoria em questão.

Pessoas que possuem esse tipo de característica são mais comuns na Ásia e em algumas partes da África, com incidência de 4 a 10%. Já nas outras partes do mundo esse número não costuma passar de 1% da população total.

 

Escrito por Paulo Da Silva

Adoro escrever sobre curiosidades e notícias diversas. Curioso por natureza, amante de internet e tecnologia. Contato: [email protected]