Especialistas afirmam que quem bebe cerveja vive mais

A cerveja quando consumida de forma moderada, pode ajudar você a passar dos 90 anos, de acordo com estudo

Todo mundo sabe que ter um estilo de vida saudável e fazer exercícios de maneira regular é a chave para se obter mais longevidade. Mas agora, um novo estudo traz a ideia de que o álcool presente na cerveja merece atenção quando o assunto é viver mais.

E quem é que não gosta de tomar uma cervejinha não é mesmo? Seja junto com os amigos, em uma festa, ou até mesmo na própria casa.

Muitos consideram o fato de beber cerveja como um hábito normal, mas para os pesquisadores da UCI MINDS (Universidade de Estudos Comportamentais), essa é uma prática que pode resultar no aumento da longevidade da vida de uma pessoa.

O estudo realizado por eles foi feito analisando o comportamento de cerca de 1.800 pessoas durante um período de seis em seis meses. Foram analisados hábitos alimentares, histórico médico e o consumo de bebidas.

O resultado foi muito favorável para os defensores do consumo da cerveja. Pois, o aumento da expectativa de vida de uma pessoa que bebe cerveja, chega aos 90 anos de idade.

Os participantes que bebiam dois copos de cerveja ou até mesmo duas taças de vinho ao dia tinham 18% mais chance de viverem mais.Mas é sempre bom ter em mente que o consumo precisa ser moderado. O consumo excessivo ao contrário do que aponta os resultados do estudo pode diminuir de forma significante a expectativa de vida de uma pessoa, devido ao fato de que irá trazer vários e graves problemas de saúde. E afinal, todas as coisas que nós realizamos com excesso acabam nos fazendo mal.

Mas não é só a cerveja que pode ser nossa aliada nesse processo do aumento da longevidade. O café, que acompanha muitas pessoas nas mesas pela manhã, ou no lanche da tarde, também cumpre esse mesmo papel de aumento da longevidade.

Nesse mesmo estudo, realizado agora com o café, os considerados amantes de café tinham 10% mais chance de viverem mais tempo do que aquelas pessoas que não possuíam o mesmo hábito.

Entre o grupo que foi acompanhado, cerca de três quartos eram consumidores regulares de café. Os pesquisadores notaram que o risco de morte por qualquer causa, seja por câncer ou doenças cardiovasculares, caía de uma maneira considerável à medida que o consumo de café crescia.

Aqueles que bebiam uma xícara de café por dia tinham um risco 6% menor do que os outros que consumiam menos de uma xícara nesse mesmo período. Já as pessoas que tomavam mais de oito xícaras por dia, tinham um risco de morte 14% menor.

É preciso deixar bem claro que esse artigo não tem o intuíto de estimular alguém a consumir cerveja. Os dados mostrados aqui são bases de estudos.

Escrito por Paulo Da Silva

Adoro escrever sobre curiosidades e notícias diversas. Curioso por natureza, amante de internet e tecnologia. Contato: [email protected]