Ibuprofeno e Diclofenaco podem aumentar o risco de parada cardíaca em até 50%

Os medicamentos são fonte de grande preocupação para os médicos que possuem pacientes que se auto-medicam.

Sabemos que quando a dor é muito forte, acabamos recorrendo a diversos remédios fortes para combate-las.

Um estudo foi feito a respeito de remédios que são muito usado em casos como esse. Segundo a revista European Heart Journal, esses medicamento pode aumentar os riscos de uma parada cardíaca em alguém em até 31%.

Essa pesquisa alertou também para o uso dos anti-inflamatórios não esteroidais, que acaba sendo algo muito preocupante para a população, uma vez que esses remédios são muito usados sem receita médica para combater fortes dores, assim como os analgésicos.

Foi feita uma rigorosa análise para que esse estudo fosse concluído, e foram colocados para investigação os dados de todo o país de todos os pacientes que tiveram parada cardíaca fora do ambiente hospitalar entre os anos de 2001 e 2010.

Foi constatado cerca de 28.947 pacientes que sofreram de parada cardíaca fora do ambiente hospitalar foram tratados com esses medicamentos até cerca de 30 dias antes.

Os medicamentos mais utilizados foram o Ibuprofeno e o diclofenaco, ocupando cerca de 51% e 22% dos medicamentos usados pelos pacientes analisados no estudo. Com isso, foi confirmado que o diclofenaco pode aumentar os riscos de parada em até 50% e o Ibuprofeno em até 31%.

“Não tome mais do que 1200 mg de ibuprofeno por dia. Naproxen é provavelmente a AINE mais segura e podemos igerir até 500 mg por dia. Diclofenaco é a AINE mais perigosa e deve ser evitada por paciente com doenças cardiovasculares”, afirmou um Doutor e professor de cardiologia da Dinamarca, Gunnar H. Gislason, que também foi quem criou esse estudo.

A empresa brasileira que atua com medicamentos à base do ibuprofeno alega que não há riscos em seus produtos.

 

Escrito por Redator News Hero

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.