Mulher morre e pede em seu testamento que sua cadela seja morta e enterrada junto com ela

Mulher morre e em seu testamento, pede para que sua cadela seja morta e enterrada junto dela.

Os testamentos são documentos que foram deixados por uma pessoa falecida para que sejam cumpridos os desejos da pessoa em relação aos seus objetos pessoais. Enquanto que alguns desses documentos são normais, outros em especial, acabam se tornando muito esquisitos e incomuns, por causa dos pedidos completamente estranhos que foram deixados pelos donos.

Como é o caso dessa história em particular, na qual uma mulher já idosa, que pedia em seu testamento para que o seu animal de estimação fosse morto, cremado e enterrado junto com ela.

O caso completamente inusitado aconteceu em uma cidade da Virgínia, que fica localizada a sudeste dos Estados Unidos e provocou muita discussão sobre a lei estadual.

Pois, nesse estado, legalmente, animais são propriedade de seus donos, que podem pedir o sacrifício dos bichos em qualquer circunstância, mesmo que eles estejam saudáveis.

Já por outro lado, muitos cemitérios acabam se recusando a sepultar animais em seu terreno, o que pode acabar sendo contornado em cemitérios de propriedade particular ou familiar.Logo depois da morte da mulher, o advogado dela abriu o testamento e tomou um verdadeiro susto com o que leu no documento.  A mulher deixava bem claro com detalhes, como tudo deveria ser feito, desde o sacrifício do animal, que é uma cadela chamada Emma, até o seu sepultamento.

O animal, depois do falecimento da dona, estava em um abrigo, mas teve de ser retirado de lá pelo advogado, para obedecer ao testamento da cliente.

Os funcionários que trabalham no local tentaram fazer com que o advogado viesse a mudar de ideia, afirmando que a cadela, pequena e saudável, tinha uma grande chance de ser facilmente adotada por um novo lar. Em março deste ano, a cadela foi enterrada no mesmo túmulo em que estava a idosa. A situação acabou deixando todos os funcionários do abrigo desolados.

Dr. Kenny Lucas, que é veterinário da clínica Shady Grove Animal, disse que se recusa a fazer a prática de eutanásia em um animal que esteja saudável.

“Sempre que nos deparamos com uma situação de eutanásia, é um momento muito emocional, e que temos de fazer da forma mais ética possível É algo que de uma forma ou outra acabamos levando para casa também. Isso pesa muito para nós como profissionais”, disse ele em entrevista.

 

Escrito por Paulo Da Silva

Adoro escrever sobre curiosidades e notícias diversas. Curioso por natureza, amante de internet e tecnologia. Contato: [email protected]