Surto de coronavírus na África, médicos acreditam que o pior está por vir

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2020/12/coronavirus-ressurge-na-africa-e-medicos-acham-que-o-pior-esta-por-vir.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social-media&utm_campaign=noticias&utm_content=geral ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress ([email protected]). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.

Quando a pandemia iniciou, as autoridades da África se preocuparam com a vulnerabilidade dos africanos, a situação do país não é comparada com os vizinhos da Europa, mas agora com uma nova onda da covid no país as ameaças são assustadoras.

Segundo o governo africano, uma série de novos casos tem sido diagnosticados em todo o país, 8 países incluindo Nigéria e Uganda registraram número elevado de mortes na segunda onda da covid-19.

O chefe do controle de prevenção à doença na África disse que o vírus detectado no país na primeira onda era considerado um risco, porque o sistema de saúde não estava adaptado para essa doença e advertiu que essa segunda onda todos devem se preparar para o pior.

Enquanto os médicos combatem novos surtos, os médicos estão convencidos de que muitos casos ficaram sem fazer parte da contagem.

Segundo o governo o número chega a ser duas vezes maior do que registrado pela contagem, o número verdadeiro ninguém sabe, o líder do continente informou que devido aos casos elevados de coronavirus e mortes por que o sistema de saúde era precário, se tornou ainda mais frágil para o tratamento de idosos.

O governo anunciou que nessa segunda onda de contaminação a transmissão é muito mais rápido do que no início e tem se tornando dominante em todo o país.

Isso aconteceu porque muitas pessoas não viram mais o vírus como ameaça, por isso tememos que essa segunda onda seja muito pior do que a primeira, porque o medo passou e os cuidados foram colocados de lado.

As pessoas não estão mais preocupadas hoje quanto estava preocupada antes e isso pode fazer com que o vírus se torne ainda maior.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.