Trans encarcerada na ala masculina da Papuda, foi transferida para prisão feminina por determinação da justiça

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) determinou, nesta sexta-feira (29/1), que a Secretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe) transfira a Caroline Alves Gomes, de 28 anos, para Penitenciária Feminina do DF.

O Tribunal de Justiça determinou na última sexta-feira (29) que Carolina Alves Gomes de 28 anos fosse transferida da ala penitenciária masculina para a penitenciária feminina do Distrito Federal.

Carolina é uma mulher trans estava em um espaço reservado para homens no complexo penitenciário da Papuda e a família estava lutando na justiça para reverter isso.

Os familiares de Caroline reivindicaram a remoção da Trans na Defensoria Pública e foi concedido que fosse transferida para ala das mulheres.

Antes de receber o pedido de mudança de penitenciária a Vara de Execuções Penais havia deixado Carolina em uma cela separada.

Mas a família alegou que diversas outras coisas estavam em jogo, que violavam os direitos humanos que determina os mesmos direitos e mesmas obrigações como no caso das detentas, shampoo e hidratantes para as mulheres presas estava sendo negado a Carolina.

O presidente do Centro de Defesa dos Direitos Humanos explicou que Carolina foi acompanhada pelo conselho de direitos humanos logo após ser presa.

Eles acompanharam a trans até o presídio para que ela estivesse resguarda dentro da prisão, a família então colocou uma advogada para recorrer à justiça para que ela fosse transferida de penitenciária.

Os familiares após a decisão da justiça comemoraram e celebraram e seguiram acompanhando todo o caso, pois o sistema prisional precisa estar atento a esses detalhes. No documento é homem, mas Carolina é transexual e por isso deveria permanecer em ala feminina.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.